quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Expresso do Horror


Caros amigos, como devem perceber, este blog anda mais parado do que de costume. Ou seria mais adequado dizer “tão parado quanto de costume”? Isso não importa.  O que interessa é que nas compras que fiz esse ano no site da NET NIPON eu adquiri o filme “Expresso do Horror” (Horror Express, 1972), produção espanhola dirigida por Eugenio Martín, que contou com Christopher Lee e Peter Cushing, astros da Hammer, nos papéis de destaque, além de uma pequena e marcante participação de Telly Savalas. 

Lembro que assisti na televisão, no extinto Retro Channel, da Directv, e não havia gostado do filme. Devo até ter falado mal nele nos comentários de algum blogueiro, possivelmente em alguma velha postagem do “Diário de Um Cinéfilo”,  do amigo Ailton Monteiro, e lembro de Osvaldo Neto defendendo o filme. Anos depois, fazendo compras no referido site, resolvi adicionar o filme ao meu “carrinho” e, recentemente, revi o filme ao lado de minha namorada. Ao fim do filme descobri uma verdade sobre mim: eu era uma besta.

“Expresso do Horror” é um dos filmes mais divertidos e cativantes que assisti há meses e qualquer culto que o filme possua é compreensível. A história brinca maravilhosamente com os clichês do gênero, conta com uma direção segura e criativa e, ainda por cima, tem um elenco formidável. A dobradinha Lee/Cushing funciona que é uma beleza, Telly Savalas faz o seu melhor, interpretar a si mesmo com eloquência e charme, e o ator Alberto de Mendoza como o Fujardov, o padre fanático, é um tremendo ladrão de cenas. Recomendado a todos o que curtem a velha escola do horror, a qual, aliás, estou muitíssimo interessado em conhecer melhor. Quem quiser pode ver o filme por streaming ou baixar no site do Internet Archive, já que se encontra em Domínio Público. Mad Blog recomenda.

6 comentários:

osvaldo neto disse...

Mais um! Mais um!

A pergunta que não quer calar: quantas vezes você já assobiou a música-tema do filme?

Ronald Perrone disse...

Também comprei recentemente pra rever... mas aou contrário de você, semrpe tive boas lembranças... :)

Marcella disse...

E a virada nos minutos finais é incrível! :D

Luiz Alexandre disse...

Osvaldo, a trilha sonora é parte do que torna todo esse filme genial. Confesso que uma parte de mim, por algum motivo, clamou por um remake, mas acho que isso veio por apenas um motivo: se o filme tivesse uns dez minutos a mais concorreria, junto ao "Último Dragão" e "Os Irmãos Kickboxers" na categoria de "Best Movie Ever". Mas é um filmão.

Perrone, minha namorada, assim como eu mesmo, não entendemos porque não curti. Mas ao menos defiz uma injustiça ainda vivo.

Marcella, minha flor, o final é ótimo. Assim como o começo e o meio. :p

Leandro Caraça disse...

Um dos clássicos das madrugadas do SBT. Era transmitido simultanemente, dublado e legendado !

Luiz Alexandre disse...

Simultaneamente dublado e legendado?!
Nossa, isso devia de ficar um bocado confuso... :p

Vocês nascidos no fim dos anos 70 e início de 80 tem sorte, podiam ver muita coisa legal. Na minha cabeça muitas dessas coisas não passam de fragmentos confusos, memórias imperfeitas. Saudades do que não vivi.